Procurar
Close this search box.

32º FARO OPEN (19 A 26 FEVEREIRO 2023)

Qualificação Singulares 

Quadro Principal Singulares

Quadro Principal Pares

Mais informações

Fotografias

 

DESPORTO

Lucas Poullain conquista a 32.ª edição do Faro Open ao sagrar-se campeão de singulares

Tenista francês já tinha sido finalista em 2021, mas uma rotura do menisco afastou-o durante vários meses

Dois anos depois de ter perdido a final, Lucas Poullain sagrou-se campeão de singulares do Faro Open e fechou um fim de semana de festa francesa no Centro de Ténis e Padel de Faro, que organizou a 32.ª edição do torneio internacional masculino com os apoios da Câmara Municipal de Faro e da Federação Portuguesa de Ténis. 

Na final deste domingo, Lucas Poullain (849.º do ranking mundial) derrotou o compatriota Timo Legout (494.º) pelos parciais de 7-6(5) e 6-2 após 2h11.

Resolvida em duas partidas, a decisão esteve perto de ter contornos mais dramáticos tal foi o equilíbrio entre os dois jogadores gauleses: a uma troca de breaks logo nos primeiros jogos seguiu-se um encaixe prolongado entre Poullain, de 27 anos, e Legout, de 20, que só se resolveu no tie-break.

Aí, a maior variedade de Legout esteve perto de recompensá-lo com a conquista da primeira partida, mas o facto de ser o jogador com mais iniciativa foi precisamente o que o levou a perder quatro pontos consecutivos, de 5-3 para 5-7, e a deixar fugir o parcial.

Timo Legout e Lucas Poullain

O mais novo dos dois franceses era quem mais precisava de adiantar-se no marcador e o desenrolar da final comprovou-o, pois a partir do momento em que passou para a frente Poullain não mais abriu mão da liderança. Com uma consistência notável que já tinha estado em evidência na vitória em mais de três horas sobre Pedro Sousa na segunda ronda, foi suficientemente rápido a reagir quando Legout devolveu o break em branco e com uma nova quebra de serviço — uma vez mais apoiada em demasiados erros diretos do adversário — sentenciou o frente a frente.

Um dia depois de ter perdido a final de pares ao lado do também francês Clement Tabur, Lucas Poullain sagrou-se campeão de singulares do 32.º Faro Open. Um título muito especial por tratar-se não só do quinto da carreira (e segundo em torneios de 25.000 dólares), mas sobretudo por ser o primeiro desde que recuperou de uma grave lesão — rotura do menisco do joelho direito — que o obrigou a ser operado e que o afastou da competição pouquíssimas semanas depois de ter disputado a final deste mesmo Faro Open em 2021, o ano em que alcançou o melhor ranking da carreira (426.º).

Lucas Poullain

“Estou muito, muito feliz com a vitória. Há dois anos fiquei muito triste porque tive uma excelente semana, mas não consegui jogar o meu melhor na final, por isso conseguir fazê-lo hoje é muito especial”, disse Poullain já de troféu nas mãos. “Penso que o momento decisivo foi ter ganho o primeiro set. Tivemos trocas de bolas muito longas e os nossos estilos de jogos são muito parecidos, por isso não é fácil defrontá-lo.”

No final, o diretor do torneio e responsável pelo Centro de Ténis e Padel de Faro, José Rosa Nunes, fez um balanço muito positivo da 32.ª edição do Faro Open: “Estamos muito contentes porque foi uma semana com bom tempo e com bons encontros e na qual os jogadores foram bem recebidos. O balanço é muito positivo. Tivemos muito bons patrocinadores, a começar pela Federação Portuguesa de Ténis e a Câmara Municipal de Faro, de maneira que chegámos ao fim muito satisfeitos com esta 32.ª edição.”

Antoine Hoang e Gregoire Jacq fazem a primeira de duas festas francesas no Faro Open

FARO — Antoine Hoang e Gregoire Jacq venceram este sábado uma final 100% francesa e sagraram-se campeões de pares do Faro Open, torneio internacional de 25.000 dólares que no domingo voltará a entregar um troféu de vencedor a um jogador gaulês, mas na variante de singulares.

Numa final-relâmpago, Hoang (atual 482.º classificado no ranking de pares, mas 132.º em outubro de 2021) e Jacq (504.º que chegou a ser 210.º em 2017) só precisaram de 49 minutos para derrotarem os compatriotas Lucas Poullain e Clement Tabur por claros 6-0 e 6-1 num duelo em que os adversários só conseguiram entrar no marcador no penúltimo jogo, logo após a mudança de bolas.

A vitória no Faro Open traduziu-se no 19.º título da carreira para Antoine Hoang e no 17.º para Gregoire Jacq. Já enquanto parceiros, esta foi a quarta ocasiaõ em que os franceses celebraram lado a lado.

Resolvida a primeira final, a 32.ª edição do Faro Open tem a garantia de voltar a proporcionar uma festa gaulesa no domingo, dado que a partir das 14 horas a decisão de singulares será protagonizada por Lucas Poullain (849.º classificado no ranking mundial de singulares) e Timo Legout (494.º).

Timo Legout completa final francesa no Faro Open

FARO — O francês Timo Legout juntou-se ao compatriota Lucas Poullain na final de singulares do Faro Open, garantindo que a 32.ª edição do torneio internacional de 25.000 dólares irá consagrar como campeões das duas variantes jogadores oriundos de França.

Número 494 do ranking mundial, o jovem francês de 20 anos superou o checo Michael Vrbensky (364.º da tabela mundial e sétimo cabeça de série) em duas partidas, por 6-4 e 6-3.

A diferença na primeira partida foi feita com um break logo no jogo inaugural, mas até podia ter sido dilatada, pois Legout criou três oportunidades de quebra a 5-3 no serviço de Vrbensky. No segundo parcial Legout voltou a ser o primeiro jogador a adiantar-se, mas a resposta imediata do oponente checo obrigou-o a uma nova investida para segurar a vitória.

Depois de anular um match point contra Vilius Gaubas na primeira ronda, Timo Legout apurou-se, em Faro, para a quinta final de singulares em torneios ITF — e segunda consecutiva. Com dois títulos em quatro decisões (perdeu a mais recente), o jovem francês medirá forças no domingo com o compatriota Lucas Poullain, que estará pela segunda vez na carreira na final deste torneio.

Lucas Poullain regressa à final do Faro Open

FARO — Dois anos depois, o francês Lucas Poullain (849.º classificado no ranking ATP) voltou a garantir, no início da tarde deste sábado, a presença na final de singulares do Faro Open.

A vitória deste sábado foi assinada em 2h29, graças a uma reviravolta com os parciais de 2-6, 7-5 e 7-5 contra o norte-americano Martin Damm (446.º), que aos 19 anos procurava a quinta presença da carreira em decisões de torneios de 25.000 dólares.

Para seguir em frente, Poullain precisou de ser paciente e esperar pelo momento certo para começar a fazer mossa ao serviço do norte-americano, que foi a pancada-chave da primeira partida.

Com mais soluções na linha de fundo, apesar de não ser um jogador que procure muito ter a iniciativa, o gaulês de 27 anos manteve a calma, elevou a qualidade da resposta e depois de ter desperdiçado o seu primeiro ponto de break do encontro no jogo inaugural da segunda partida voltou a partir para o ataque ao 5-6, momento em que Damm acusou a pressão e “entregou” o set com uma dupla falta.

O parcial decisivo teve contornos distintos: Damm foi o primeiro jogador a criar oportunidades de break (duas ao 3-2), Poullain fez o break em branco logo a seguir (ao 3-3) e serviu para a vitória ao 5-4, mas perdeu a vantagem já depois de ter disposto da primeira bola de jogo. No entanto, um jogo de serviço catastrófico por parte do norte-americano (com duas duplas faltas pelo meio) ofereceu ao francês uma nova oportunidade, esta não desperdiçada.

Finalista do Faro Open em 2021, Lucas Poullain terá mais uma oportunidade de sagrar-se campeão do ITF de 25.000 dólares algarvio, ele que há quatro anos ergueu o primeiro título da carreira precisamente em Portugal ao vencer um dos ITFs da Beloura, em Sintra.

O adversário poderá ser outro gaulês, caso Timo Legout (494.º) surpreenda o sétimo cabeça de série Michael Vrbensky (364.º).

Henrique Rocha cai nos quartos de final e Faro Open fica sem portugueses

FARO — Terminou esta sexta-feira a senda vitoriosa de Henrique Rocha (854.º classificado no ranking ATP), que foi eliminado nos quartos de final de singulares do Faro Open e deixou a 32.ª edição do torneio algarvio sem portugueses em prova.

Depois de nove vitórias consecutivas, o jovem maiato de 18 anos cedeu pelos parciais de 2-6, 6-1 e 6-4 para Martin Damm, norte-americano de 19 anos que está na 446.ª posição da tabela.

A atravessar a melhor fase da ainda curta carreira, Rocha começou o encontro muito agressivo e conseguiu explorar as maiores debilidades do norte-americano da linha de fundo. Mas a reação foi praticamente imediata e desde os primeiros instantes do segundo parcial que Damm tirou proveito de uma pancada de serviço particularmente agressiva para equilibrar o braço de ferro.

O encontro ficou concluído com o mais equilibrado dos três parciais, que se resolveu com uma única quebra de serviço ao quinto jogo. Com algumas dificuldades de movimentação, Rocha desistiu às dores num pé e ao cansaço acumulado ao longo das últimas duas semanas e ainda ameaçou o contra break ao 3-4, a última oportunidade antes da troca de bolas, só que o norte-americano guardou o melhor do seu serviço para quando mais precisou e, com três ases e um serviço ganhante, deixou duas duplas faltas para trás e segurou a vantagem. No derradeiro jogo do encontro o jovem português ainda voltou a ter uma oportunidade, mas com bolas novas Damm resistiu e celebrou efusivamente a vitória.

Afastado ao cabo de 1h57, Henrique Rocha sofreu a primeira derrota nos últimos 10 encontros e deu por concluída a prestação no Faro Open, que ficou sem portugueses. Quanto a Martin Damm, enfrentará nas meias-finais Lucas Poullain. Um dia depois de afastar Pedro Sousa, o francês afastou o compatriota François Musitelli, vindo da fase de qualificação, por 6-2 e 6-3 num dos primeiros duelos do dia.

Henrique Rocha passa por duelo português com a nona vitória consecutiva

FARO — Henrique Rocha (854.º classificado no ranking ATP) está a atravessar a melhor fase da carreira e na tarde desta quinta-feira apurou-se para os quartos de final de singulares do Faro Open ao celebrar a nona vitória consecutiva.

O jovem maiato de 18 anos levou a melhor no encontro com o compatriota Duarte Vale (854.º), seis anos mais velho, com os parciais de 7-5 e 6-2 ao cabo de 1h47.

Esta foi a segunda ocasião consecutiva em que Rocha recuperou da desvantagem de 2-5 na segunda partida ao vencer cinco jogos consecutivos, uma inversão do marcador potenciada pelos níveis de confiança impressionantes que reuniu ao longo dos últimos dias, fruto da conquista do primeiro título profissional no 2.º Open Internacional de Ténis de Vila Real de Santo António.

Depois de um começo apagado, em que não conseguiu fazer face ao ténis assertivo de um adversário com mais experiência, o mais novo dos dois portugueses mudou por completo o rumo dos acontecimentos ao aumentar os índices de agressividade, acabando por superar também em potência o ténis de Vale.

Apurado para os quartos de final do Faro Open, Henrique Rocha passou a ser o único representante português em prova na 32.ª edição do torneio internacional algarvio, dado que um par de horas antes Pedro Sousa (atual 462.º classificado no ranking mundial) foi afastado após 3h04.

Para ir um passo mais longe e inscrever o nome entre os semifinalistas, o ainda bicampeão nacional de sub 18 terá de superar o norte-americano Martin Damm, 446.º classificado no ranking mundial, que superou o costa-marfinense Eliakim Coulibaly (511.º) por 7-6(2) e 7-5.

Pedro Sousa eliminado no Faro Open após encontro de três horas

FARO — O português Pedro Sousa (atual 462.º classificado no ranking mundial) despediu-se esta quinta-feira da 32.ª edição do Faro Open com uma derrota na segunda ronda do quadro principal de singulares — apesar de até ter ganho mais pontos do que o adversário.

Dois dias depois de ter regressado ao torneio algarvio com o pé direito, o jogador lisboeta de 34 anos não resistiu a uma batalha de 3h04 com o francês Lucas Poullain (849.º) e perdeu por 7-6(4), 6-7(4) e 6-3.

Num duelo entre dois jogadores que não têm no serviço uma das principais armas, a diferença fez-se em pequeníssimos detalhes e, sobretudo, pela capacidade de resilência, com Poullain (vice-campeão do Faro Open em 2021) a ser mentalmente mais regular do que Sousa (vencedor do torneio em 2012 e finalista em 2013).

De resto, o lisboeta de 34 anos foi quem mais teve a iniciativa, quem mais oportunidades de break criou (converteu seis de 23, enquanto Poullain concretizou sete de 14) e quem mais pontos venceu ao longo do braço de ferro (124 para 120). Só que o gaulês nunca deitou a toalha ao chão e recuperou da desvantagem de uma quebra de serviço para concretizar a vitória.

Com a derrota de Pedro Sousa, a representação portuguesa no Faro Open ficou reduzida a dois jogadores e no final da jornada apenas terá um, dado que Duarte Vale (559.º) e Henrique Rocha (854.º) vão medir forças.

Fábio Coelho e Gonçalo Falcão nos quartos de final do Faro Open após reviravolta

FARO — Em dia do 35.º aniversário aniversário, Gonçalo Falcão celebrou o apuramento para os quartos de final de pares do Faro Open ao protagonizar uma reviravolta ao lado de Fábio Coelho. Depois de duas jornadas cheias, foram os únicos portugueses a resistir à eliminatória de estreia nesta variante.

Quartos cabeças de série, Coelho e Falcão precisaram de dar a volta ao britânico Billy Harris e ao israelita Yshai Oliel — ambos derrotados em serviço duplo após terem sido afastados por portugueses nos singulares — para vencerem por 2-6, 6-4 e 10-8 após 1h17.

O encontro foi discutido sob os holofotes do court principal do Centro de Ténis e Padel de Faro, o mesmo palco onde minutos antes Jaime Faria e Duarte Vale não conseguiram confirmar o estatuto de terceiros cabeças de série e perderam por 6-3 e 6-4 para os dinamarqueses August Holmgren e Christian Sigsgaard.

Na véspera, foram eliminados Gonçalo Oliveira (com o australiano Jason Taylor), Pedro Araújo (a formar parceria com o britânico Sean Hodkin) e duas duplas portuguesas, compostas por Rodrigo Fernandes/Manuel Almeida e Rodrigo Fernandes/Manuel Almeida, pelo que Fábio Coelho e Gonçalo Falcão serão os únicos jogadores “da casa” em busca por um lugar nas meias-finais de pares.

Para o fazerem, terão de passar pelos checos Matej Vocel e Michael Vrbensky.

Nos singulares a representação nacional é ainda mais significativa, dado que um dia depois de Pedro Sousa também Duarte Vale e Henrique Rocha avançaram para a segunda ronda — os últimos dois agendando um encontro 100% português que assegurará a presença de um deles nos quartos de final.

Duarte Vale afasta favorito e marca duelo português no Faro Open

FARO — O português Duarte Vale (559.º classificado no ranking ATP) apurou-se para a segunda ronda do quadro principal de singulares do Faro Open e garantiu a presença de pelo menos um jogador português nos quartos de final do torneio de 25.000 dólares.

Convidado pela organização para o quadro principal, o jovem de 24 anos, ex-número 14 mundial de juniores, superou o sexto cabeça de série Billy Harris (367.º e sexto cabeça de série) em duas partidas, por 6-2 e 7-6(5), após 2h25.

Na segunda ronda, Duarte Vale vai enfrentar o compatriota Henrique Rocha (854.º), que um par de horas antes celebrou a oitava vitória consecutiva.

Para além de Vale e Rocha, também Pedro Sousa inscreveu o nome na segunda eliminatória do Faro Open, mas na véspera.

Henrique Rocha sobrevive a 2h53 e soma oitava vitória seguida

FARO — Três dias depois de ter conquistado o primeiro título da carreira em torneios profissionais, o português Henrique Rocha (854.º classificado no ranking ATP, mas com uma subida de cerca de 200 lugares prevista para a próxima semana) celebrou esta quarta-feira a oitava vitória consecutiva ao entrar com o pé direito no Faro Open.

No encontro de estreia no quadro principal de singulares, o maiato de 18 anos resistiu a um braço de ferro de 2h53 com o israelita Yshai Oliel (470.º) e triunfou pelos parciais de 7-5, 3-6 e 6-1.

Fundamental para a vitória na primeira ronda foi a recuperação do primeiro set, no qual Rocha esteve a perder por 2-5, mas acabou por conquistar cinco jogos consecutivos para se adiantar no marcador. Depois, Oliel conseguiu responder e forçou um parcial decisivo, mas o tenista português “descolou” para a vitória com um break logo nos primeiros jogos.

Recém-campeão do segundo ITF de 25.000 dólares de Vila Real de Santo António, onde celebrou sete vitórias em sete dias consecutivos, Henrique Rocha deu mais um passo em frente e apurou-se para a segunda ronda do Faro Open, na qual poderá ter pela frente um compatriota. Para isso, Duarte Vale (559.º) terá de superar o sexto cabeça de série, Billy Harris (367.º).

Pedro Araújo eliminado por cabeça de série no Faro Open

FARO — A campanha de Pedro Araújo (644.º posicionado no ranking mundial) no quadro principal de singulares do Faro Open terminou com uma derrota na primeira ronda após um braço de ferro com um dos pré-designados.

Convidado pela organização para o quadro principal, o lisboeta de 20 anos exibiu-se a um bom nível, mas perdeu para o checo Michael Vrbensky (364.º) por 7-6(7) e 7-6(5) após 2h35.

Extremamente equilibrado, o duelo desta quarta-feira terminou com 100 pontos ganhos por Vrbensky e 99 por Araújo. Cada jogador celebrou três quebras de serviço, com o jovem português a ser sempre o que teve de correr atrás do prejuízo até conseguir empurrar as decisões para os “tira-teimas”, onde pequenos detalhes fizeram a diferença a favor do tenista mais cotado.

Pedro Araújo foi o segundo tenista português a “cair” na jornada desta quarta-feira, depois de Jaime Faria não ter apresentado argumentos para dar sequência à campanha do qualifying. Mas ao contrário do compatriota já não irá a jogo na variante de pares, uma vez que foi eliminado na véspera ao lado de Sean Hodkin.

Jaime Faria sofre derrota pesada em Faro

FARO — Depois de três vitórias no qualifying, o português Jaime Faria (595.º classificado no ranking ATP) perdeu esta quarta-feira na primeira ronda do quadro principal de singulares do Faro Open, torneio internacional de 25.000 dólares que celebra a 32.ª edição.

O jovem português de 19 anos esteve longe do seu melhor ténis e perdeu por 6-0 e 6-3 com também qualifier John Echeverria (742.º), de Espanha, ao cabo de apenas 66 minutos.

Faria já tinha sentido dificuldades nas últimas duas rondas do qualifying, ambas ganhas no match tie-break, e esta quarta-feira voltou a estar longe do seu melhor. Com muitos erros, que o deixaram cada vez mais desanimado, o lisboeta não conseguiu tomar a iniciativa perante um adversário que requeria que pegasse no encontro e teve de correr sempre atrás do prejuízo.

Afastado em singulares, Jaime Faria apontará o foco à variante de pares, na qual se estreia ainda esta quarta-feira ao lado de Duarte Vale. Os dois portugueses defendem o estatuto de terceiros cabeças de série e medem forças na primeira ronda com os dinamarqueses August Holmgren e Christian Sigsgaard.

Pedro Sousa regressa ao Faro Open oito anos depois com uma vitória

FARO — Oito anos depois de ter disputado o Faro Open pela última vez, o ex-campeão Pedro Sousa (atualmente na 462.ª posição da hierarquia mundial) regressou ao torneio internacional algarvio de 25.000 dólares com uma vitória — a primeira em provas do circuito ITF desde 2017.

A disputar o terceiro torneio consecutivo em solo algarvio (a série assinalou o seu regresso a este nível pela primeira vez precisamente desde esse ano), o lisboeta de 34 anos superou o jovem compatriota Tiago Pereira, de 18 anos e 1430.º classificado mundial, por 6-3 e 7-5.

Em desvantagem por dois breaks na segunda partida, Sousa penalizou a pouca experiência do jovem adversário, que acusou a importância do momento nas duas ocasiões em que serviu para forçar um terceiro set, e venceu cinco jogos consecutivos para resgatar o encontro e celebrar a vitória em 1h24.

Campeão do Faro Open em 2012 e finalista em 2013, Pedro Sousa — que disputou o torneio pela última vez em 2015, quando foi travado nas meias-finais por Mate Pavic (que anos mais tarde seria número um mundial de pares) — tornou-se no primeiro tenista português a seguir para a segunda ronda de singulares.

O próximo adversário do ex-número 99 mundial sairá do duelo entre os franceses Antoine Hoang (355.º e ex-98.º) e Lucas Poullain (849.º), que joga o torneio com ranking protegido depois de ter sido 426.º em maio de 2021, o ano em que foi finalista deste mesmo torneio.

Horas antes de Pedro Sousa, Gonçalo Oliveira foi o primeiro português a ir a jogo no quadro principal e foi eliminado depois de um duelo muito equilibrado. Por ir a jogo (todos na quarta-feira) estão ainda Duarte Vale, Pedro Araújo, Henrique Rocha e Jaime Faria, que nesta jornada se juntou aos compatriotas ao vencer a última ronda do qualifying.

Jaime Faria apura-se para o quadro principal do Faro Open

FARO — Jaime Faria (595.º classificado no ranking mundial) precisou de disputar um match tie-break pelo segundo dia consecutivo, mas voltou a vencer e com a terceira vitória da semana inscreveu o nome no quadro principal de singulares da 32.ª edição do Faro Open.

Ao contrário do que aconteceu na véspera, esta terça-feira o jovem português de 19 anos não precisou de salvar um match point, mas passou por dificuldades antes de conseguir dar a volta ao senegalês Seydina Andree (904.º) para vencer por 4-6, 6-4 e 11-9.

Numa reta final com contornos semelhantes ao encontro da segunda ronda, Faria liderou por 9-7 (na segunda-feira teve 9-6), mas viu o adversário reagir e voltou a estar sob pressão ao 9-9, só que desta vez conseguiu evitar um ponto de encontro favorável a Andree.

As três vitórias nos courts do Centro de Ténis e Padel de Faro apuraram o jogador de Lisboa para o quadro principal de singulares, que será o segundo consecutivo em torneios de 25.000 dólares na região algarvia (na semana passada foi derrotado pelo amigo Henrique Rocha na segunda ronda em Vila Real de Santo António).

Ainda sem adversário, o jogador do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis juntou-se aos compatriotas Gonçalo Oliveira (eliminado no início da tarde), Pedro SousaDuarte Vale, Pedro Araújo, Henrique Rocha e Tiago Pereira na grelha mais importante da prova.

Menos feliz foi Fábio Coelho, que não conseguiu fazer o pleno no qualifying e foi derrotado na ronda de acesso.

Gonçalo Oliveira afastado na primeira ronda do Faro Open

FARO — Gonçalo Oliveira (473.º classificado no ranking mundial) não conseguiu ser feliz no regresso ao Centro de Ténis e Padel de Faro e foi eliminado na primeira ronda do quadro principal de singulares do Faro Open, torneio internacional de 25.000 dólares.

Primeiro português a ir a jogo no quadro principal, o portuense de 28 anos — atualmente a viver no Algarve — foi afastado em duas partidas pelo italiano Giovanni Fonio (332.º), que confirmou o estatuto de terceiro cabeça de série com os parciais de 7-6(5) e 6-4.

O encontro desta terça-feira foi disputado foi de alta intensidade do início ao fim, com ambos os jogadores a praticarem um ténis de nível muito elevado ao longo das 2h02 pelas quais se prolongou o braço de ferro — que até podia ter tido contornos diferentes, dado que Oliveira liderou por 5-0 no tie-break da primeira partida, mas acabou por perder sete pontos consecutivos.

A jornada desta terça-feira já tinha contado com o afastamento de Fábio Coelho, mas na última ronda do qualifying, a mesma que também Jaime Faria disputa neste dia. A ação portuguesa nos singulares ficará concluída com o duelo 100% luso entre Pedro Sousa e Tiago Pereira.

Fábio Coelho eliminado do Faro Open à porta do quadro principal

FARO — Terminou esta terça-feira a participação do português Fábio Coelho (1014.º) na variante de singulares do 32.º Faro Open, ao ser travado na terceira e última ronda do qualifying.

No arranque da jornada, o jogador de Oliveira de Azeméis desperdiçou várias oportunidades em ambos os parciais e perdeu por 6-3 e 7-5 com o checo Hynek Barton (732.º do ranking e sétimo cabeça de série) após 1h38.

Apesar da derrota em duas partidas, Coelho dispôs de várias oportunidades para obter outro desfecho. O jovem de 22 anos foi, aliás, o primeiro a quebrar em ambos os parciais: no primeiro liderou por 2-0 e 3-1, no segundo fez o break logo a abrir, teve o 4-2 e voltou a quebrar para servir e forçar um match tie-break, mas acusou sempre os momentos e ficou muito longe do seu melhor ténis quando as ocasiões lhe exigiam que pressionasse o adversário, quatro anos mais novo e, apesar de melhor cotado, ainda acessível.

A derrota de Fábio Coelho significou que apenaas Jaime Faria (595.º) poderá selar o apuramento para o quadro principal, onde já estão seis portugueses. Desses, três irão a jogo ainda nesta jornada: primeiro Gonçalo Oliveira, depois Pedro Sousa contra Tiago Pereira.

Vale, Araújo e Pereira entre os convidados para o 32.º Faro Open

Jorge Cunha/AIFA

FARO — Os portugueses Duarte Vale (559.º classificado no ranking mundial), Pedro Araújo (644.º) e Tiago Pereira (1430.º) receberam, esta segunda-feira, três dos wild cards disponíveis para o quadro principal da 32.ª edição do Faro Open, com o quarto convite a ficar a cargo do britânico Felix Gill (469.º), vencedor do pré-qualifying.

Para além dos três jogadores lusos que foram convidados, já estavam confirmados no quadro principal do torneio algarvio — o terceiro de uma série de seis — o lisboeta Pedro Sousa (atualmente na 462.ª posição, mas ex-99.º), o portuense Gonçalo Oliveira (473.º e ex-194.º) e o maiato Henrique Rocha (854.º), que entrou como special exempt após vencer o ITF de Vila Real de Santo António.

A estes cinco tenistas “da casa” podem ainda juntar-se Jaime Faria (595.º) e Fábio Coelho (1014.º), que na terça-feira jogarão a ronda de acesso ao quadro principal.

Jaime Faria salva match point e avança no Faro Open

FARO — O português Jaime Faria (595.º colocado na hierarquia mundial masculina) qualificou-se, na tarde desta segunda-feira, para a ronda de acesso ao quadro principal da 32.ª edição do Faro Open, torneio internacional de 25.000 dólares organizado pelo Centro de Ténis e Padel de Faro.

Se na véspera a estreia na competição ocorreu sem percalços, esta segunda-feira o jovem lisboeta de 19 anos precisou de anular um match point para superar o britânico Sean Hodkin (1208.º) no match tie-break decisivo, com os parciais de 6-4, 3-6 e 12-10.

O duelo complicou-se na segunda partida, quando o número de erros não forçados de Faria aumentou e o tenista do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis passou a sentir muitas dificuldades em imprimir velocidade à bola. Faria ainda recuperou de um 40-0 e dispôs de dois pontos de break para recuperar a quebra de atraso ao 2-4, mas não aproveitou nenhuma das oportunidades — num jogo em que a pancada de esquerda foi decisiva para complicar a tarefa a Hodkin — e o britânico acabou por igualar o braço de ferro.

Chegado o match tie-break, o tenista português aumentou a pressão e com a ajuda de uma dupla falta ficou com três match points (9-6), só que voltou a ser afetado pelos erros e deixou escapar quatro pontos consecutivos que, inclusive, o obrigaram a anular um ponto de encontro antes de conseguir celebrar a segunda vitória da semana.

Apurado para a terceira e última ronda do qualifying, Jaime Faria juntou-se ao compatriota Fábio Coelho — que venceu ainda na parte da manhã. Mas o seu adversário só será conhecido na reta final da jornada, com a conclusão do encontro entre o senegalês Seydina Andre (904.º) e o espanhol Javier Molino (1196.º).

Salvador Monteiro e Afonso Portugal eliminados

Se Jaime Faria e Fábio Coelho seguiram em frente, Salvador Monteiro e Afonso Portugal foram eliminados na segunda ronda do qualifying.

Menos de 24 horas depois de ter cumprido a estreia em torneios do circuito profissional com uma vitória, o jovem Monteiro, de apenas 15 anos, não conseguiu surpreender o oitavo cabeça de série, Sergi Perez Contri (717.º), e perdeu por 6-2 e 6-0. Já Portugal, cedeu pelos parciais de 6-3 e 6-1 para o primeiro cabeça de série do qualifying, o francês Maxime Chazal (505.º).

Fábio Coelho coloca-se a um passo do quadro principal do Faro Open

FARO — Fábio Coelho (1014.º classificado no ranking ATP) apurou-se, na manhã desta segunda-feira, para a terceira e última ronda do qualifying do ITF de 25.000 dólares do Centro de Ténis e Padel de Faro, o Faro Open.

Tal como na véspera, o campeão nacional absoluto celebrou uma vitória em dois sets, desta vez ao superar o checo Jan Jermar (sem classificação internacional) por 6-2 e 6-1 após 61 minutos.

Depois de 10 minutos inicias atribulados, em que cometeu vários erros que levaram o adversário a carimbar a primeira quebra de serviço, Coelho tomou conta do encontro. Com mais ténis do que o adversário, e sobretudo a variedade que o caracteriza, o jovem português de 22 anos reduziu drasticamente o número de bolas “oferecidas”, devolveu rapidamente o break e encaixou 12 dos últimos 13 jogos.

Apurado para a ronda de acesso ao quadro principal, Fábio Coelho vai discutir a passagem com o vencedor do encontro entre o checo Hynek Barton, de 18 anos e número 726 mundial, e o norte-americano Michael Zhu, de 30 anos e atual 1058.º classificado.

Ainda esta segunda-feira, também Jaime FariaSalvador Monteiro e Afonso Portugal tentarão carimbar a presença na última eliminatória da fase de qualificação.

Jaime Faria e Afonso Portugal ultrapassam primeiros obstáculos no Faro Open

FARO — Primeiro Fábio Coelho, depois Salvador Monteiro e por fim Jaime Faria e Afonso Portugal: a jornada inaugural do Faro Open contou com quatro vencedores portugueses, que avançaram para a segunda ronda do qualifying da 32.ª edição do torneio internacional masculino de 25.000 dólares organizado pelo Centro de Ténis e Padel de Faro.

Terceiro cabeça de série da fase de qualificação fruto do 595.º lugar que ocupa no ranking ATP, Faria, de 19 anos, passou sem problemas pelo compatriota e colega de treinos João Dinis Silva, quatro anos mais novo, ao vencer por 6-1 e 6-1.

Na segunda de três rondas, o jovem lisboeta terá pela frente ou Gabriel Elicha Navas (1807.º) ou Sean Hodkin (1264.º)..

Um pouco antes, Afonso Portugal também já tinha celebrado a inscrição na segunda eliminatória ao vencer o britânico Mason Dace por 6-3 e 6-1. Com este resultado, o português de 23 anos agendou encontro com o primeiro cabeça de série do qualifyingMaxime Chazal (538.º e ex-234.º).

A 32.ª edição do Faro Open teve como primeiro vencedor português o atual campeão nacional absoluto, Fábio Coelho (1012.º), mas o oliveirense foi a jogo no Clube de Ténis de Loulé, pelo que o primeiro tenista luso a celebrar no Centro de Ténis de Faro foi Salvador Monteiro. O jovem de 15 anos protagonizou uma estreia perfeita em torneios do circuito profissional.

Salvador Monteiro estreia-se em torneios profissionais com vitória no Faro Open

FARO — Com apenas 15 anos, o português Salvador Monteiro cumpriu, este domingo, a estreia em torneios do circuito profissional com uma vitória no qualifyingda 32.ª edição do Faro Open, novamente integrado na categoria ITF de 25.000 dólares.

Convidado pela organização, o jovem portuense repetiu a vitória do pré-qualifying(não oficial) sobre o norte-americano Roman Walewski, cinco anos mais velho, desta vez por 7-5 e 6-1.

Atual campeão nacional de sub 14 e vencedor do Masters, Salvador Monteiro destacou-se ainda mais em novembro de 2022 ao viajar até Estocolmo e vencer o Kungens Kanna & Drottningens Pris, tornando-se no primeiro tenista português a conquistar um título da recém-inaugurada “Super Categoria” (a mais importante) do circuito Tennis Europe de sub 14.

Apurado para a segunda de três rondas de qualifying, Salvador Monteiro terá pela frente o vencedor do encontro entre o espanhol Sergi Perez Contri (736.º ATP e sétimo cabeça de série) e o checo Adam Blecha (sem classificação internacional).

Antes do jovem jogador do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis (é o mais novo do grupo), também Fábio Coelho já tinha carimbado uma vitória no Faro Open. Mas o atual campeão nacional absoluto atuou no Clube de Ténis de Loulé, pelo que o triunfo de Monteiro foi o primeiro de um jogador português no Centro de Ténis e Padel de Faro.

 

Fábio Coelho assina primeira vitória portuguesa no Faro Open

Beatriz Ruivo/FPT

campeão nacional absolutoFábio Coelho (1012.º classificado no ranking ATP), foi o responsável pela primeira vitória portuguesa na 32.ª edição do Faro Open, torneio internacional de 25.000 dólares que acontece no Centro de Ténis e Padel de Faro.

A defender o estatuto de 15.º cabeça de série da fase de qualificação, o jogador de Oliveira de Azeméis aplicou os parciais de 6-2 e 6-1 ao espanhol Ian Luca Cervantes Tomas, de 19 anos e sem classificação ATP.

A vitória de Coelho foi celebrada nos courts do Clube de Ténis de Loulé, o palco secundário escolhido para acolher alguns dos encontros da primeira ronda do qualifying, que é composto por 64 jogadores e por isso conta com 32 duelos neste primeiro dia.

Na segunda de três rondas, Fábio Coelho terá pela frente o vencedor do encontro entre o também português Manuel Guedes de Almeida e o checo Jan Jermar, dois jogadores sem ranking ATP.

11 portugueses no qualifying do 32.º Faro Open

O Faro Open está de volta aos courts do Centro de Ténis e Padel de Faro, que entre os dias 19 e 26 de fevereiro organiza, com os apoios da Câmara Municipal de Faro e da Federação Portuguesa de Ténis, a 32.ª edição deste torneio internacional masculino, uma vez mais dotado de 25.000 dólares em prémios monetários e pontuável para o ranking ATP.

O início da competição está agendado para as 10 horas de domingo, dia dedicado à primeira ronda do qualifying, que ficou totalmente preenchido (64 jogadores) e contará com a participação de 11 tenistas portugueses.

Entre eles, o mais cotado é Jaime Faria. Aos 19 anos, o jovem lisboeta já conta com dois títulos de singulares em torneios ITF no currículo e parte para esta edição do Faro Open como 595.º classificado no ranking mundial, tendo a seu cargo o estatuto de terceiro cabeça de série numa fase de qualificação que iniciará contra o jovem compatriota João Dinis Silva — de apenas 15 anos e seu parceiro de treinos no Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis, que recebeu um dos wild cards disponíveis.

Da lista de pré-designados do qualifying faz também parte Fábio Coelho. Aos 22 anos, o atual campeão nacional absoluto ocupa o 1012.º posto na hierarquia mundial (já foi 896.º) e terá como primeiro adversário o espanhol Ian Luca Cervantes Tomas, sem classificação ATP.

A comitiva portuguesa presente na primeira fase do Faro Open fica completa com os nomes de Gonçalo Falcão (34 anos e campeão mundial de veteranos +30 em singulares, pares masculinos e pares mistos), Afonso Portugal, Manuel Guedes de Almeida, Rodrigo Deleu, Rodrigo Fernandes, Salvador Monteiro, Daniel Marincas e Tomás Tenil — todos eles com encontros de estreia agendados para a jornada de domingo, que será dividida entre os courts do Centro de Ténis e Padel de Faro e do Clube de Ténis de Loulé.

O Faro Open é o torneio internacional organizado há mais anos em Portugal e em 2023 volta a integrar a categoria de 25.000 dólares do circuito mundial masculino. Com 25 pontos e 3.600 dólares (cerca de 3.358 euros) reservados ao campeão, contará no quadro principal com a presença de Pedro Sousa, um dos sete homens portugueses que ao longo da história conseguiram chegar ao top 100 ATP (foi 99.º em fevereiro de 2019) e um dos três com pelo menos uma final de singulares disputada em torneios ATP (finalista em Buenos Aires no ano de 2020).

Facebook

Os nossos campos

6 Campos Ténis (2 cobertos), 7 Padel (3 cobertos) e 1 Padbol, todos com iluminação artificial.